TIME

Deparar com a morte é algo árduo, mas afinal, todos morremos um dia.
Meus textos ficarão aqui para sempre, eu juro, mas isso é outra história.
Temos um limite, como um cartão de crédito.

Quando esse limite estoura tentamos repor com algo; algo que realmente possa suprir essa falta, que tape esse profundo buraco.
Um suporte é talvez o que eu precise, uma boa música também acalma os nervos que estão saltitando em você.
Escrever é um bom hábito, é ótimo expor seus sentimentos pra fora, e eu recomendo.
A programação da tv ficou podre, as músicas falam da mesma coisa: o falso sentimento; amigos leais que não existem mais.Não se vê crianças rindo e se divertindo na rua, elas estão nas casas noturnas bebendo e fumando, tudo é precoce,  porque na mente deles isso é sinal de ser "legal".
Continuo falando das mesmas coisas, e vou continuar falando até que alguém me escute, ou não; é cansativo e irritante.O cansaço é um dos sintomas da depressão sobre a sociedade; você quer ver coisas novas, fazer coisas interessantes mas tudo, hoje, é igual.
O que dizer então do amor, nossa!Encontram-se tampas facilmente, e se você não gostar pode trocar em um piscar de olhos;  minha sorte é ser uma frigideira , se isso é sorte.
Mesmo com esses fones, tentando esquecer dos problemas, vou sempre ser a garota estranha.
Ás vezes falo coisas que nem sei de onde vem, é um impulso que pode magoar os outros, e a mim mesma.
As situações fazem com que você veja onde errou.
'Pessoas loucas fazem pessoas sãs agirem loucamente' < isso é uma verdade.
Sem fim, sem começo, só um relato, não há mais nada para escrever.

0 comentários