O piloto valeu a pena?

fevereiro 03, 2017
Começar uma série é muito fácil, quando você percebe já tem umas 10 séries começadas e nenhuma terminada. Acontece bastante quando terminamos uma série muito boa e estacionamos na temida ressaca. Daí a dificuldade de saber qual será a próxima a se começar, afinal estamos com as expectativas lá em cima. Conseguimos ver algumas coisas, algumas faz um tempinho já e outras estão recentes. Bora ver se compensou ou não!

3%
Esse eu não posso nem defender. Bem que queria, porque né, oras uma série brasileira na Netflix não é pouca coisa não. MAS NÃO DEU. Pra mim foi "como ficar revoltado a cada 5 segundos e ficar com a cara vermelha de tanto facepalm".. Foi pior que os 3 episódios de The 100 que assisti. Tenho uma teoria que os americanos gostaram tanto de 3% porque acham o som do português bonito. BELIEVE ME, eu, Tais Amaral, acho que consigo ter uma atuação mais natural. Os piores são o cara denominado chefe do processo e a protagonista, não dá pra simpatizar. Vou para por aqui porque já quero xingar. Vimos até o começo do 3º episódio.

Friends
Ora, ora, ora. Quem tá pagando a língua?
Foi o bom e velho "não tem nada pra assistir" que nos levou a ver Friends. O hubby já assistiu, então só está relembrando. Depois de terminarmos Game Of Thrones e Peep Show, ficou um vazio saudoso de série longa pra acompanhar (cansamos um pouco de Orphan Black) e queríamos novidade.
Olha, eu amo How I Met Your Mother e posso dizer-vos que Friends ocupou um espacinho aqui no banco de séries legais. Não era difícil de se imaginar, comédia é meu ponto fraco.
Esse eu passei do piloto e estou morrendo de rir a cada episódio. Aliás, já tenho meu personagem na série: sou uma espécie de Monica com Pheobe. Let's sing a song.?

Desventuras em Série
Look Awayy, looook awayy♪                                                                                                                    
Acho que todo mundo teve um faniquito quando fora anunciado que a Netflix faria uma série do Desventuras em Série.
Só o filme te imerge em um universo mágico. Confesso que não curti muito o Jim Carrey no papel de Conde Olaf BUT convivi bem até, agora, nosso querido Neil Patrick Harris tomar seu lugar e nos mostrar uma face não tão cômica de um charlatão interesseiro.
A série é divina. Eu não li os livros, my bad, mas creio que não atrapalhou em nada, só me deixou com vontade de lê-los (coisa que prometi que faria em 2012).                                                                                                                                                                                                                                            

Persons Unknow
Sabe aquele projeto de estudante de cinema? Acho que foi o começo da série.
Acho que eles quiseram fazer uma coisa meio Lost e se perderam no meio da emoção de criar uma história.
É o seguinte, a série começa com um drama meio estranho que se fixa na principal. Ela deve um dinheiro à algum tipo de investigador de pessoas e como tal investigador não fez seu trabalho, que entendi que era achar o marido que deve ser muito importante pra história, ela não o pagou mais. Daí eles, badboys que ainda não se revelaram, raptaram ela e a enfiaram em um hotel com mais 5 pessoas desconhecidas. Aí começa a trama, envolvendo as atitudes de todo esse pessoal no hotel. Pausa pra dizer que a principal é pior que o elenco de 3%, não dá pra simpatizar.
Os personagens tem hora que sabem muito e horas que não sabem na-da, aí você fica naquela de se tem algum intruso por ali ou as falas foram mal escritas. Espere reações drásticas e muito olhares assustados.
A série é ~velha~ então não dá pra ficar querendo muito. Dá pra passar o tempo e achar graça, o final do episódio pareceu promissor.

Person of Interest
Ponto possitivo, como diria professora Cude, só porque Michael Emerson está no elenco.
O principal é um militar que abandonou tudo, vida pessoal/família/carreira, e vive sozinho bem desacreditado no mundo. O cara virou um homeless de metrô e vive com uma garafinha de bebida sempre à mão. Um dia desses, uns metidos à donos do pedaço entram no vagão que o tal cara esta e querem mexer com ele, afinal a graça de gente otária é essa. Só que, os que eles não esperavam era levar uma surra de desgraçar o sentido da vida e pararem na delegacia.
Chegando la, a delegada investiga todos e o mistério começa: o tal homeless  não tem cadastro em lugar nenhum. Aí que começa toda a história do episódio, que não vou falar mais nada pra não estragar com mais spoilers. 
Dramas vão e vem e no final do episódio, praticamente, deu tudo certo e eu fiquei com aquela impressão de "é filme ou série?" pois não parecia ter uma continuação ali, já que eles revelaram quase tudo em um episódio. É bem aquela série "não sei porque to assistindo isso". Vimos um episódio só, não ficamos tanto na expectativa de continuar.

Workaholics
No estilo de It's Always Sunny In Philadelphia,  Workaholics me deixou uma boa impressão.
Série bem podreira, que mostra que o ser humano não tem limites pra conseguir o que quer. É nojenta? É. Mas é a pura realidade meus queridos. Além disso, a amizade entre os personagens é muito instintiva, bem real life. Não tem muito o que falar, é daquelas séries rapidinhas de ver na hora do almoço, ou na hora que você chega em casa e vai tomar aquele cafezinho da tarde pós trabalho, pra aliviar a tensão do dia. 

Então é isso.
Essas foram as séries que assistimos recentemente! Espero que tenham gostado, resenha ainda é um pouco difícil para mim. Agora se você quer saber sobre mais séries e filmes eu indico o post da Kat, do Outro Blog.

Tem algum piloto que foi sucesso pra você? Tem alguma pra me indicar? Me conta, mig!
Tecnologia do Blogger.