Isso é tão Black Mirror



Foi dura a resistência mas, assisti Black Mirror.
Depois que a poeira abaixou e que uns amigos cansaram de me recomendar a série, Kana e eu fomos ver do que que se tratava todo o auê.

Acontece que, já tínhamos visto o primeiro episódio e, as usual, não gostei e disse que não queria ver. Até que um dos amigos do Kana insistiu para que víssemos um episódio que fala sobre videogames.
Isso foi o começo de tudo. Finalmente me rendi à Black Mirror e, tudo o que via, a vontade de soltar um "isso é muito black mirror" não passava.

Sinceramente eu não fiquei muito tocada com os episódios. Foi mais fascinante do que emocionante. Adorei a forma de como eles trataram a tecnologia na série e muitas coisas me lembraram 1984(mesmo que eu ainda esteja no começo do livro algumas coisas parecem muito relacionadas (retificando: já acabei o livro e não terminei o post), afinal é distopia. Mas o modo que tudo de tecnológico existia me pareceu um futuro deslumbrante, aconchegante e sinistro.


Episódios Favoritos:

Shut Up and Dance

Não é querendo ser fria, muito menos desumana, mas esse episódio tem chances reais de ter sido tirado de alguma história da deep web. Óbvio que com  alguns ajustes pra um final desgraçado e previsível como o que teve. Não quero o mal de ninguém, mas o fluxo de maldade parece que aumentou uns 300% de uns anos pra cá. É tanta gente querendo se sentir superior à outras que toda a compaixão ao próximo foi pro ralo no momento que aprendemos a ser extremamente egoístas e deixamos o orgulho falar.

Playtest

Esse foi o primeiro que eu realmente assisti livre de pré-conceitos e cara, que episódio!
Achei um artigo muito interessante sobre esse episódio, vale a lida.  O medo é real oficial. Realidades virtuais que de tão perfeitas te fazem duvidar do que realmente existe, a cabeça entra em conflito.  Foi um episódio extraordinário com um final que me surpreendeu.

Nosedive

Esse episódio foi uma chinelada na cara, a realidade exposta nua e crua. Basicamente são pessoas vivendo por números, vivendo por aparências. Aquela coisa que todo mundo já sabe, que todo mundo vê e releva, por que todo canto tem. 
O jeito que eles jogaram na cara de quem assistiu pareceu real demais e, com certeza, doeu em quem tá nessa vibe. O episódio se encaixou na vida de tanta gente que eu conheço, só mudou um pouco o roteiro. O final não é nada feliz, como sabemos desde sempre.  A coisa é tão esdrúxula e te faz perder rumo tão rápido que você fica totalmente sem identidade, sem perspectiva, sem metas e sem vida.

Men Against Fire

O episódio tem como tema um drama real. Na minha percepção, a critica que o autor embutiu no episódio sobre as minorias na sociedade vs guerra é angustiante. Não tem como não associar a superioridade de "raça" no episódio. Brainwashing consciente.


White Christmas

Esse especial de Natal foi o melhor!
O episódio é dividido em três partes, e as três no final se complementam.
Como pragmática da série, toda a tecnologia foi compactada à chips e implantes nos olhos.
O final do episódio foi sensacional e me deu arrepios - lembro da cena e já me dá tremelique.
Você ter escolher entre liberdade e convívio social te faz pensar um bocado de horas.
-

Agora tô aqui super ansiosa pra próxima temporada! 
Esse post estava nos rascunhos e fiquei meio assim de postar. Anyway esses dias eu tive que fazer uma analise de filmes e de black mirror e pensei: porquê não?

0 comentários