Nossa, como eu tô Dark (Dark 2017 Netflix)


Com o anúncio da segunda temporada de Dark, não me contive e quero deixar minha opinião sobre a série ressaltada aqui!
Cuidado, não me regulei nos spoilers. (cito Doctor Who também - sua conta seu risco)

Dark é a série que eu precisava ver pra dar um ânimo (ainda não esqueci Lost). Não sei vocês, mas falou sobre viagem no tempo eu tô entrando sem pedir licença. A primeira série alemã original da Netflix conseguiu casar tão bem o nome da série com a sua atmosfera. É Dark, é Noir, é Indie.
A estética foi a primeira coisa que e chamou a atenção, o contraste usado no emblema sombrio da série me cativou, me aconchegou e fez meus olhos brilharem.

A trama misteriosa com personagens tão naturais nos prendeu a atenção e conseguimos vivenciar a série. Degustamos os episódios lentamente pra não chegar ao fim - pois até então não havia nenhum manifesto sobre uma próxima temporada.

Posso dizer que foi umas das melhores séries de 2017. Até pulamos Stranger Things pois não estávamos no clima pra ver(e ainda não estamos).

O clima super Twin Peaks abraçou quem ama esse tipo de série. Confortante pra caramba. Especialmente a musica de tema escolhido, que me deu a sensação de estar acampando numa mata desconhecida com os amigos.


 
Me deu até vontade de aprender alemão - e isso foi uma das coisas que eu mais gostei por assistir a série, ver algo tão legal em uma língua estereotipada de difícil foi maravilhoso. Sou do tipo de pessoa que gosta de novidade - e novidade de boa qualidade.

No começo eu achei que era coisa de alguma seita - o Kana já matou tudo no segundo episódio e mesmo tão previsível foi bacana de assistir. O previsível não é spoiler, tem uma chance daquilo que a gente acha não acontecer então você fica numa pilha que quando acontece como você pensou a sensação é de "sou foda".

A confusão da árvore genealógica envolve Jonas - o garoto em que o pai se matou - e a família de Ulrich Nielsen (que está à procura de seu filho Mikkel).


source: http://www.tvguide.com/news/dark-how-everything-connected-netflix/ 

O padrão de 33 anos de acontecimentos paranormais em Widden faz significado com muitas coisas - na série eles citam trechos bíblicos e tentam conectar esses acontecimentos à alguma ira divina.
2019 é onde a série se apresenta, envolvendo o desaparecimento de Mikkel; 1986 sendo o ano do desaparecimento do irmão de Ulrich - que é pra onde o Mikkel vai parar; 1953 o ano em que Ulrich fica preso por tentar matar Helge - quem ele achou ser responsável pelos sequestros e mortes das crianças e que seria a ligação de tudo. Tem um episódio do Doctor Who em que a Donna tem que escolher pra onde ela vai pra parar um loop e se livrar de um alien que tá sugando a energia dela e é como se fosse um sonho. Então, é tipo isso.
A hora de escolher é o que mata - mas olha a curiosidade em saber pra que época a portinha dava era maior, então nem liguei que ele foi pelo lado errado.  c h o i c e s
A agonia que me deu quando Ulrich entrou no timeworp e fez o trajeto pela cidade, vocês não fazem ideia. Adulto não sabe brincar com o tempo, acha que vai conseguir tudo matando ou mudando as coisas e não sabe o que um efeito borboleta pode causar.  O curioso de como eles usam o tempo e não há causa/efeito paradoxo. Dá pra perceber bem pois o Jonas de 2052 não fica muito perto do Jonas de 2019. Além das coisas acontecerem por terem que acontecer - vide Helge com sua orelha estraçalhada, por fazerem parte do loop.

Gostaria de mais cenas com a Elisabeth, a filha da Charlotte. Ela foi uma graça e, na minha cabeça, agregaria muito mais à série se participasse mais dos eventos. Bom, ela foi uma peça chave pra saber quem é Noah (que você ainda não sabe se faz tudo por um culto ou é illuminati a lá Angels&Demons - chuto dizer que ele não pertence à nenhuma daquelas linhas de tempo).

Dark não é uma série pra se criar laços com os personagens, a gente assiste pra saber que diabos essa galera que tem os nervos à flor da pele vai fazer. Achei a maioria dos personagens sem sal(menos a mãe de Jonas, que mulher infernal - desde criança um demônio possessivo), mas eles fizeram tanto sentido à trama que nossa, eu só queria saber o desenrolar da história.

Ontem, conversando com os amigos e o Hubby, começamos desenrolar a série e as perguntas que ficaram no ar foram:
Noah é o futuro do Bartozs?
Noah é o avó do Ulrich?
O que a Claudia quer?
Quem diabos realmente é Aleksander?



Vou fazer uma ressalva aqui: a série é fantástica, entretanto se não fosse pelos últimos 50 segundos finais ficaria perfeita. A cena da trupe do futuro não me convenceu, ainda mais com a garota falando no final. Falei merda? Não sei, mas que estou animada pra segunda temporada eu tô demais!

Agora dá uma olhada nesses memes que o pessoal que pirou com a série fez. Confesso que ri de quase todos:  Memes de Dark 

E você, o que achou da série? Vamos conversar!

My Instagram