5 dicas para quem vai comprar em brechó

Sou adepta à moda consciente desde quando não era um hit. Posso falar que era até vergonhoso você garimpar uma peça, sempre era visto como “coisa de gente morta” e "coisa de gente velha" e daí a gente tinha que ir escondido nos brechós da vida (que não eram muitos). O mundo mudou e hoje, com todo poder de comunicação e influencia que existe, a moda sustentável está em alta e  só dou graças para que mais trift shops abram e façam minha felicidade em achar aquela peça ultra vintage por menos de 10$.

Como no meu longo histórico de idas e vindas de brechós, preciso passar pra você, querido aspirante à moda sustentável, algumas dicas que fazem toda a diferença na hora de comprar uma peça. Se eu tivesse essas dicas em mente, não cometeria tantos erros.

1.       Compre do seu tamanho (ou um pouco maior)

O meu problema sempre foi comprar uma peça que “talvez” caiba em mim.  E assim eu comprei muitas peças que não entravam nem na perna (ou na cabeça) e muitas que jurava serem muito grandes acabaram servindo perfeitamente. Nem sempre o que tá na etiqueta é lei, tem muito 38 disfarçado de 42.

 2.       Prove!

Claro que essa é uma exceção mas, mesmo se não conseguir provar a peça, coloque por cima do corpo e se veja em qualquer espelho que achar.  A dica da calça funciona também, aquela de colocar o cós no pescoço e ver se sobra ou falta (sobrando a peça serve e faltando não é o seu número for sure). Uma peça grande você consegue apertar, diminuir o comprimento e não perde, já a pequena a gente faz o que? Manda pro saco de doação ou tenta trocar com alguém (já que os brechós não aceitam troca de peças).

3.       É seu estilo? Então invista!

Não adianta achar aquela peça maravilhosa que é tendência, mas não se ver usando.  Se você tem um estilo minimalista não adianta comprar peças cheias de detalhes, sobreposições e estampas. Vai por mim, você não vai usar. Eu comprei algumas peças de tricô que achei maravilhosas, só que é colocar no corpo e tirar. porquê não combina com nada das outras peças que tenho e com o estilo básico que sigo. O negócio é se sentir bem com a roupa que estiver vestindo.

4.       Não fique com dúvidas

Pela menor dúvida que tenha não leve. Eu já fiquei com peças que me imaginei customizando-as, fazendo uma nova peça, só por causa do tecido e no final elas acabaram indo pro saco de doação ou senão as coitadas ficaram totalmente retalhadas. Desperdício né?
Tem também aquela peça que tá super baratinha e que só o que te interessa mesmo é o preço(sabe aqueles brechós de 1$, tem hora que dá vontade de levar tudo). Pra ser um acumulador é um começo, cuidado.

5.       Olhe toda a peça

Na minha cidade tem um numero razoável de brechós, desde beneficentes até lojas só pra isso, daí é separar um tempo pra poder olha direitinho a peça, ver se não tem mancha que não dá pra resolver com uma lavada, ou rasgos e furinhos que acabam com a peça. Mesmo que a peça for maravilhosa e estiver com um puta rasgo você tem que aceitar que não dá pra salvar.

 ***

A vida é um ciclo e a moda pode ser também.
Se você tem uma dica pra me dar, fique a vontade. E se eu te ajudei, me conta tá?!
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Instagram